Quem somos

O QUE É O PSOL?

O PSOL é um partido político. Partido, para nós, são pessoas, uma parte da sociedade que se organiza para entender e transformar a realidade. Política, para nós, está bem além do jogo eleitoral que se repete de 4 em 4 anos. Política, para nós, é a vida cotidiana – a qualidade das escolas, a existência de trabalho digno para todos e todas, é o direito a um teto seguro, é a preocupação com a destruição da natureza, é o preço dos alimentos, a discriminação das pessoas por causa da sua cor, gênero ou orientação sexual e a luta contra qualquer forma de injustiça. Política, para nós, serve para lutar por dias melhores, não para alguns, mas para uma maioria da população, sujeita ao descaso dos que usam a política para benefício próprio. Partido, para nós, é uma forma de encontrar irmãos e irmãs que andam de braços dados pra que possamos fazer com nossas mãos um mundo melhor e uma vida com dignidade.

COMO SURGIU O PSOL?

O PSOL teve seu início a partir do movimento de grupos que romperam com o PT. Foram diversas pessoas que entenderam que o PT deixava cada vez mais de lado o compromisso com a transformação da sociedade e da própria forma de fazer política para se enquadrar como mais um partido eleitoreiro tradicional, que tem como objetivo principal a eleição de seus representantes simplesmente, sem a garantia de comprometimento da luta por direitos para os trabalhadores e trabalhadoras. Entre 2004 e 2005, diante da necessidade de defender uma política com valores como solidariedade, justiça, poder coletivo, democracia direta e tantos outros, e da impossibilidade de construção desses valores dentro do PT, diversos homens e mulheres resolveram construir uma alternativa. Nascia assim o PSOL: um novo partido contra a velha política!
Hoje, muitos e muitas que integram o PSOL, sobretudo na juventude, não tiveram experiência política no PT ou em outros partidos e vieram para o PSOL já constituído, tendo referência nas diversas lutas nas quais estamos presentes. Para nós é um exercício constante construir o partido que desejamos, construindo um instrumento cada vez melhor para que trabalhadores e precarizados pela política tradicional e seus patrões possam unir forças e transformar radicalmente a realidade. Estamos juntos para construir o socialismo e uma sociedade livre de toda forma de opressão. Nos aprimoramos também com a diversidade a cada ano que nosso Partido cresce e novos lutadores e lutadoras somam forças em nosso projeto coletivo por um outro mundo.

O QUE É SOCIALISMO E LIBERDADE PARA O PSOL?

Somos socialistas porque entendemos que o sistema capitalista tem como objetivo principal a reprodução das mercadorias, e não da vida. Vivemos num mundo dividido entre pobres e ricos. De um lado vemos, na nossa cidade, educação, saúde, trabalho, moradia, meio ambiente e tantas outros direitos sociais fundamentais à garantia da vida das pessoas serem deixados em último plano, e, do outro lado vemos grandes empresas desrespeitando leis, recebendo isenção do pagamento de impostos, lucrando milhões à custa de trabalhadores que recebem um salário que não paga o sanduíche do empresário e ainda recebendo apoio dos governos pra isso.
O socialismo, para nós, é a justiça para com uma maioria de trabalhadores e trabalhadoras que hoje sustenta a riqueza de poucos, é a construção de um mundo onde a dignidade humana exista e seja o objetivo principal.
Mas socialismo, para nós, também é liberdade. É da democracia, do direito de ser diferente e de falar e fazer abertamente e com liberdade que faremos esse outro mundo possível. Socialismo, para nós, é liberdade mais plena que o capitalismo não nos proporciona e por isso entendemos que o socialismo não pode ser uma ditadura de poucos. As liberdades de pensamento, de organização, de expressão, de agir, de amar, de sonhar devem ser garantidas.

PRA QUE SERVE O PSOL?

O PSOL serve pra juntar os inconformados, pra acumular historicamente leituras sobre o mundo e sobre as formas de transformá-lo. A partir do PSOL nos organizamos e organizamos, fazemos ações, debates, campanhas, protestos, aprendemos e ensinamos uns com os outros e seguimos, a partir da contribuição de cada um/a, com a construção coletiva de uma nova forma de fazer política. Somos trabalhadores/as, estudantes, sem-teto, desempregados, e muitos outros/as presentes em sindicatos, associações de moradores/as e movimentos diversos (estudantil, mulheres, negros/as, LGBTTs, ecologistas, funkeiros/as, etc). A partir da ação dentro e fora do PSOL, em mandatos parlamentares a serviço do povo e nos movimentos sociais, nos organizamos cotidianamente com o objetivo de tocar lutas e conseguir vitórias que nos ajudem na construção de uma política e um mundo melhor.

BANDEIRAS DE LUTA DO PSOL

Na luta por um mundo melhor, o PSOL está presente em diversas lutas. Conheça algumas delas:

Na defesa dos direitos dos trabalhadores e trabalhadoras!
Todos os dias, trabalhadores e trabalhadoras de diversas áreas sofrem com falta de direitos, de condições dignas de trabalho (isso quando há trabalho!). Lutamos pela valorização do salário mínimo; garantia de direitos trabalhistas como aposentadoria, trabalho formal, licença-maternidade de 6 meses, condições dignas de trabalho; direito de organização em sindicatos, manifestação e greve; pela redução da jornada de trabalho; contra o desemprego, etc.

Na defesa do meio ambiente!
O consumo desenfreado, a opção por energias altamente poluentes, a poluição causada pelas grandes empresas e indústrias, etc, agravados pela globalização e exploração de recursos em qualquer lugar do mundo, têm gerado males ao planeta e à humanidade e possibilitado, em nome do lucro, o desrespeito à vida e à possibilidade de um futuro onde os povos sejam soberanos. Nesse sentido a valorização da agricultura familiar, o respeito às florestas e diversidades da fauna e da flora, o combate aos transgênicos (alimentos geneticamente modificados), ao agronegócio e ao consumismo são algumas das bandeiras do ecossocialismo, que o psol defende.

Na defesa da juventude!
Nossa juventude tem sido cada vez mais alvo da precarização do trabalho e do desemprego e da falta de educação pública de qualidade. A lógica consumista e individualista do capitalismo também é mais cruel entre a juventude cada vez mais assediada pelas propagandas e pela necessidade de consumo de determinados produtos. Por outro lado, a juventude sempre foi fundamental nos processos de luta e resistência. Presente na luta contra a ditadura, nos grandes movimentos culturais, no impeachment do Collor, e em diversos movimentos anti-capitalistas no Brasil e ao redor do mundo, a juventude quer construir um mundo melhor. O PSOL tem um grande peso da juventude e encampa suas lutas!

Por mais direitos para as mulheres!
Apesar de ser propagandeado a todo instante que o machismo não existe mais, percebemos que as mulheres ainda ganham menos que os homens para o mesmo salário, são maioria entre os desempregados, ainda tem dificuldade de exercer sua sexualidade e a maternidade livremente e sofrem como vítimas de violências (no Brasil, a cada 20 segundos uma mulher é vítima de violência). O PSOL quer transformar essa realidade lutando por direitos para as mulheres a partir da sua organização e intervenção política. Assim, conseguiremos contribuir para uma sociedade onde as relações entre homens e mulheres sejam mais iguais e mais humanas.

Direito à cidade!
Em nossas cidades, se faz cada vez mais presente a existência de muros que separam ricos e pobres. O direito de ir e vir não se concretiza já que o preço da passagem é um absurdo e o serviço é péssimo. O direito à moradia continua sendo uma piada tanto para os que têm que pagar preços impossíveis quanto para quem tem que se sujeitar a moradias em situação de risco e com deficiência de água e esgoto tratados. Educação? Segurança? Saúde? Pode de esperar sentado/a! O PSOL não concorda com essa situação, por isso está presente nas lutas contra a especulação imobiliária, por transporte estatal, público, de qualidade e a baixo custo (em defesa do passe livre), por uma reforma urbana que garanta moradia digna às pessoas e por um manejo consciente de nossos recursos naturais, bem como do saneamento básico como um todo.

Direitos Humanos já!
O sistema capitalista, por essência, depende, para a sua sobrevivência, da recorrente violação de direitos. Nunca haverá um capitalismo “justo” ou respeitador dos direitos humanos fundamentais. Porque, no sistema capitalista, o valor do capital está acima do valor da vida do ser humano. Nesse sentido, a luta pelos direitos humanos interpõe-se como ponto central na disputa contra o capitalismo. Ser socialista, hoje, implica em lutar em defesa dos direitos fundamentais de todos aqueles que são desprezados, criminalizados e mesmo eliminados pelo sistema dominante. Só alcançaremos um modelo de sociedade igualitário e respeitador dos direitos fundamentais quando suprimirmos por completo o sistema capitalista.
Democratização da comunicação!
Os jornais, revistas e TV mostram quase sempre a mesma opinião disfarçada de imparcialidade. Enquanto isso, rádios comunitárias, iniciativas populares de comunicação e acesso a informação e cultura são reprimidas pelos governos. O PSOL luta por formas de comunicação mais democráticas, que reflitam a diversidade de ideias presentes na sociedade.

Todo apoio à luta pela terra!
A terra, fundamental para garantir os alimentos que nos permitem a vida, tem se transformado cada vez mais em mercadoria. Vemos cada vez menos famílias cultivando a sua roça e tirando seu sustento daí, contribuindo com o legume, a hortaliça e a fruta da mesa do brasileiro/a e cada vez mais grandes propriedades produtoras de cana, soja, eucalipto construindo um império do agronegócio cujo lucro vai pras mãos de poucos. A reforma agrária é fundamental e está associada à soberania alimentar de um povo. O PSOL encampa essa luta!